Barritas Energéticas

Estas barritas de aveia são uma constante cá em casa. Faço-as tantas vezes que já nem consulto a receita, e às vezes em vez de amêndoas ponho amendoim ou avelãs, em vez de flocos de aveia grossos coloco flocos de espelta, em vez de alperces coloco figos… É adaptável a gostos pessoais, desde que as proporções sejam as mesmas.

Os ingredientes são bastante energéticos, pelo que estas barritas são para ser consumidas com moderação. A menos que se esteja em fases de crescimento acelerado (crianças, adolescentes) ou se tenha um gasto calórico acentuado (atletas, pessoas com um trabalho físico intenso,…) é que se pode comer o tabuleiro todo:) No entanto, esta opção é muito mais saudável do que qualquer bolacha produzida pela indústria alimentar, e trazer uma caixinha hermética com duas ou três na minha mala já me permitiu aguentar várias horas de espera quando não tenho possibilidade de sair para comer.

Aqui vai a receita:

Ingredientes

  • Flocos de aveia (ou outro cereal) grossos: 100g
  • Flocos de aveia (ou outro cereal) finos: 60g
  • Amêndoas laminadas: 100g
  • Alperces desidratados: 100g
  • Geleia de arroz: 100g
  • Farinha de espelta ou trigo: 2 colheres de sopa
  • Óleo de grainha de uva ou côco ou girassol: 40g
  • Côco ralado: 25g
  • Limão: raspa de meio
  • 1 colher de chá canela (ou a gosto)
  • 1 pitada de sal
  • bebida vegetal ou água: 2 colheres de sopa

Preparação:

  • Pré-aqueça o forno a 180º.
  • Parta as amêndoas e os alperces em pedaços pequenos.
  • Junte as amêndoas e os alperces a todos os ingredientes secos, envolvendo bem com a farinha.
  • Acrescente o óleo, a geleia e mexa até a massa se tornar homogénea.
  • Se a mistura não estiver homogénea, acrescente as duas colheres de sopa de bebida vegetal ou de água.
  • Forre um tabuleiro com papel vegetal e espalhe a massa com a ajuda das mãos humedecidas em água, ou a parte de trás de uma colher de sopa, também humedecida.
  • Leve ao forno, baixe a temperatura para 170º, até dourar.
  • Retire do forno e parta em barras ainda mornas.
  • Os pedacinhos que se soltarem guarde num frasco e use como granola misturados num iogurte vegetal.
  • Deixe arrefecer e guarde numa caixa hermética, para permanecerem estaladiças

Amêndoas caramelizadas com geleia de arroz

A receita de hoje tem também um video de 1′ no youtube

Publiquei-a o nao passado no Facebook por altura da Páscoa, mas para que ela não se perca decidi voltar a publicar no Blog. Assim é mais fácil de encontrar.

Para verem como é fácil:)

Esta é uma alternativa muito mais saborosa e saudável do que as amêndoas cheias de açúcar e chocolate que se vendem por aí na Páscoa. Experimentem!
Ficam muito melhores do que as de compra 🙂

Amêndoas Caramelizadas

Ingredientes:

  • Amêndoas: 1 taça
  • Geleia ou Malte/geleia de arroz: 2 colheres de sopa
  • Canela ou cacau a gosto

Preparação:

  • Coloque as amêndoas numa taça, junte a geleia de arroz e envolva.
  • Deite-as num tabuleiro forrado com papel vegetal, polvilhe com canela ou cacau, caso queira, e leve ao forno a 140ºC por 15 minutos ou até ficarem douradinhas.

Notas: Vigie sempre o forno, a geleia tem que “ferver”, para que as amêndoas fiquem sequinhas, depois d e arrefecerem, mas os frutos secos não devem queimar.
As da imagem foram feitas com canela e estavam DE-LI-CI-O-SAS

Tarte salgada de abóbora

Esta semana o meu filho mais novo perguntou-me qual é o meu vegetal preferido e eu não fui capaz de responder.

Gosto de tantos e gosto de os cozinhar de forma tão diferentes, que seria impossível escolher um só. Gosto dos mais doces, dos mais amargos, dos ácidos e dos picantes. Gosto de vegetais crus, ou levemente escaldados, ou cozidos, ou estufados… Gosto das preparações simples e das mais sofisticadas.

A receita de hoje tem por base abóbora. Nesta altura a abóbora é a rainha de muitos dos meus pratos. No entanto esta tarte pode ser confeccionada com o que temos no frigorífico. Podem juntar espinafres ou até uns grelos de nabo, resto de feijão ou grão cozido, algum cereal que sobrou…. Com o que temos em casa é possível fazer um prato novo que tanto serve para um lanche como para um almoço simples.

Ingredientes para a base

  • Farinha de espelta (ou de trigo) semi-integral: 2 chávenas de chá
  • Água ½ taça
  • Azeite (ou óleo de girassol): ½ taça
  • Sal: 1 colher de chá
  • Orégão seco: 1 colher de chá (ou a gosto)

Preparação da base

  • Juntar todos os ingredientes. Deverá obter uma massa moldável. Caso isso não aconteça, junte um pouco mais de água ou de farinha até isso acontecer.
  • Reserve no frigorífico, numa caixa fechada.

Ingredientes para o recheio

  • Abóbora Hokkaido ou cabacinha ralada: 200g (cerca de 1/3 de uma abóbora)
  • Cenoura ralada (ou mais abóbora): 100g
  • Cebola roxa: 120g (duas médias)
  • Cogumelos marron laminados: 100g (guardar alguns inteiros para enfeitar)
  • Natas de aveia: 1 pacote (escolham natas espessas)
  • Amido de milho: 3 colheres de sopa
  • Azeite: 2 colheres de sopa
  • Miso branco : 1 ou 2 colheres de sopa
  • Vinagre de ameixa Umeboshi (opcional): 1 colher de sopa
  • Sal: q.b
  • Orégão a gosto

Preparação do recheio

  • Arranje todos os vegetais: cenoura em juliana, abóbora ralada, cogumelos laminados, cebola em meias luas finas.
  • Pré-aqueça o forno a 180ºC.
  • Coloque num tacho o azeite e salteie a cebola até começar a ficar translucida.
  • Coloque a massa numa tarteira com cerca de 24 cm de diâmetro e faça uns furos com o garfo e leve ao forno durante 15 minutos.
  • Durante esse tempo, junte os restantes vegetais à cebola com uma pitada de sal e deixe refogar em lume brando, com o tacho tapado, durante 10 minutos.
  • À parte bata as natas com o amido de milho, a miso branco e o vinagre de ameixa.
  • Junte as natas aos vegetais e deixe engrossar um pouco, mexendo sempre.
  • Retire a base do forno, coloque o recheio, enfeite com os cogumelos reservados e leve ao forno por mais 20 minutos, até começar a dourar.
  • Come-se bem fria com uma salada ou quente a acompanhar cereal e outros vegetais.

Bolachas de Amêndoa e Gengibre (vegan)

Na Mil Grãos já cheira a Natal:)

E quando se aproxima o Natal o tema “prendas” faz-se presente no nosso espírito. Queremos mimar as pessoas que amamos e que estiveram mais presentes na nossa vida no ano que está quase a terminar.

As melhores prendas são aquelas que são feitas por nós tendo a mente e o coração cheio da pessoa a quem as vamos oferecer.

E a receita de hoje é a pensar em todos aqueles que gostariam de oferecer umas bolachas com especiarias tão próprias desta altura, a amigos especiais.

Podem adaptar a receita para crianças pequenas, diminuindo ou retirando na totalidade as especiarias.

Depois de feitas, basta colocar em frascos de vidro, com uma etiqueta bonita e um lacinho. Imagino a cara dos vossos amigos e familiares ao receber um frasco com estas bolachas.

Esta receita leva, opcionalmente, uma colher de sopa de melaço de cana integral. Este ajuda a que as bolachas fiquem com o sabor característico. O melaço não é um alimento para consumir frequentemente. No entanto, face aos alimentos feitos a partir da cana de açúcar é o mais ricos em minerais, nomeadamente ferro, magnésio, cálcio, e vitaminas do grupo B.

Ingredientes secos:

  • 2 chávenas de farinha de espelta ou de trigo
  • 1/2 chavena de amêndoa ralada finamente
  • 5 g de fermento para bolos
  • 1 colher de café de baunilha em pó
  • 2 colheres de café de gengibre em pó
  • 1 colher de café de canela em pó
  • 1 colher de café de cardamomo em pó (opcional)
  • Pitada de cravinho moído (opcional)

Ingredientes líquidos:

  • ½ chávena de óleo de grainha de uva ou de girassol (desodorizado)
  • 2 colheres de sopa de pasta/manteiga de amêndoa
  • ¾ chávena de malte de cevada
  • 1 colher de sopa de melaço de cana integral (opcional)
  • ¼ chávena de bebida de arroz (esta serve para ajustar a consistência, pode não ser necessário acrescentar nenhum leite)

Preparação:

  • Pré-aqueça o forno a 180oC.
  • Junte todos os ingredientes secos e faça uma mistura homogénea.
  • Junte o óleo e os restantes ingredientes, guardando a bebida de arroz para o final, caso seja necessária. Pretende-se que a massa fique moldável.
  • Estenda a massa com a ajuda do rolo da massa, de forma a ficar com uma espessura de ½ cm.
  • Corte com formas ou em bolachinhas quadradas com a ajuda de um corta-pizza.
  • Coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno a 170oC até dourarem (10-15 minutos).
  • Deixe arrefecer antes de guardar numa caixa de vidro hermética.

Chá frio de maçã e canela

Chá frio de maçã e canela

Acabei de regressar de férias e a receita de sexta-feira não pode faltar (se alguma vez acontecer, é mesmo por um motivo destes, férias).

Assim que cheguei a casa, fiz um chá para ter fresquinho para os próximos dias. É alcalinizante, graças ao chá de 3 anos e à ameixa umeboshi, levemente doce e refresca maravilhosamente. Aprendi no Instituto Macrobiótico e é uma das minhas bebidas preferidas no Verão.

Caso tenham cascas de maçã, podem fervê-las junto com o chá de três anos.

Ingredientes

  • Chá de três anos (kukicha ou banchá): 1 colher de sopa rasa
  • Cascas de maçã (opcional)
  • Água: 1 litro
  • Sumo de maçã biológico: 1 litro
  • Pasta de ameixa umeboshi: 1 colher de café (ou meia ameixa desfeita)
  • Maçã: 1
  • pau de canela: 1
  • Limão: casca de 1/2 (opcional)
  • Hortelã (opcional, a gosto)

Preparação

– Ferva o chá de 3 anos com ou sem as cascas de maçã durante três minutos. Se gostar, no último minuto junte o pau de canela.

– Coe e deixe arrefecer completamente.

– Corte uma maçã em cubinhos e pique a ameixa miudinha

– Junte tudo num frasco com o sumo de maçã e leve ao frio a repousar.

– Se gostar junte folhas de hortelã e uma casca de limão antes de colocar no frigorífico.

Nota: o sabor é ligeiramente salgado, e isso ainda torna este chá mais adequado a ser consumido em dias quentes, em que perdemos muitos sais. A ameixa umeboshi é extremamente alcalinizante. Se tiver pressão arterial alta pode colocar meia colher de sopa de chá de três anos em vez de uma. No entanto, o chá vai ser diluído no sumo, o que o vai tornar bastante fraco.

Mousse de amoras silvestres

A receita de hoje é uma receita básica da macrobiótica e não podia faltar neste blog. É a receita de uma mousse que pode ser feita com qualquer fruta, mas que fica especialmente bem com morangos ou outros frutos vermelhos.

Todos os anos apanho com os meus filhos alguns kilos de amoras silvestres. Conhecemos alguns locais onde há muitas Silvas e onde, por esse motivo, há sempre também muitas amoras. Congelo e guardo para esta mousse, para os muffins, para toppings, para “cheesecake” (tofucake), etc.

Antes de se obter a mousse, esta sobremesa é uma gelatina, e o meu marido prefere sem dúvida a gelatina. Por isso, cá em casa fazemos sempre as duas versões, a gelatina e a mousse, obtida a partir da gelatina triturada com a varinha mágica.

Mousse de Amoras Silvestres (ou morangos, ou mistura de frutos vermelhos)

Ingredientes:

Sumo de maçã 100%: 1l

Agar-agar em pó: 2 colheres de sopa

Amido de milho ou farinha de araruta: 2 colheres de sopa

Amoras silvestres (ou outros frutos vermelhos que podem ser congelados): 300 a 400 g

Geleia de arroz: 5 colheres de sopa (ou a gosto)

Baunilha em pó: 1 colher de café

1 pitada de sal

Raspa de 1 limão

Natas de côco e folhas de hortelã para servir (opcional)

Preparação:

– Se tiver amoras frescas comece por lavar as amoras e escorrer bem. Coloque-as logo numa taça onde possa servir a sobremesa, se desejar fazer apenas a gelatina.

– Coloque num tacho o sumo de maçã, o agar-agar, o amido ou a araruta, a baunilha e mexa.

– Leve ao lume durante uns minutos, mexendo sempre até ganhar uma película mais clara (“espuma”). Deixe ferver mais 5 minutos.

– Junte a geleia e deixe voltar a levantar fervura, mexendo sempre. Se gostar de mais doce, acrescente mais geleia.

– Desligue, junte a raspa de limão e mexa mais um pouco.

– Deite na taça onde tinha as amoras, deixe arrefecer e coloque no frigorífico durante 2h.

– Se preferir gelatina, corte-a em fatias e guarneça com uns pingos de natas de côco.

– Se preferir fazer a mousse, triture bem a gelatina com a varinha mágica e coloque em tacinhas guarnecidas com as natas de côco, algumas amoras  e folhinhas de hortelã.

Nota: Uma sobremesa saudável, fresca e que não podia ser mais simples

 

Queques de Cenoura e Laranja (vegan s/açúcar)

Aprendi esta receita no Instituto Macrobiótico de Portugal. Feita pelo Marco Fonseca, que tem uma mão incrível para doces e salgados. Eu adaptei-a e coloco o sumo da laranja fazendo com que a cenoura quase seja o “ingrediente secreto”, porque não sabem a cenoura.

Nesta altura do ano é preferível fazerem-nos ao vapor, recorrendo a um steamer, mas podem sempre cozê-los no forno. São fáceis, saborosos e fazem um lanche mesmo agradável.

Queques de Cenoura e Laranja

Ingredientes:

  • Farinha de espelta branca: 300 g
  • Cenoura moída: 150 g
  • Óleo de girassol ou de grainha de uva: 100 g
  • Sumo de maçã e laranja: 170 g
  • Geleia de arroz: 150 g
  • Raspa de uma laranja 
  • Bicarbonato de sódio: 1 c. de chá
  • pitada de sal

Preparação:

Num recipiente coloque a farinha e o bicarbonato e misture bem.

Triture a cenoura e reserve.

Raspe a casca de laranja e esprema o sumo da mesma. Deite-a num recipiente e acrescente sumo de maçã até conseguir ter 170 g. Junte este sumo à cenoura triturada assim como os restantes ingredientes e triture tudo com uma varinha mágica.

Junte a farinha com este preparado, envolvendo bem.

Coloque em forminhas de queques.

Leve a cozer cerca 20 minutos ao vapor ou em forno a 180ºC.

Delicie-se!

Sementes de girassol tostadas com shoyu

As sementes de girassol são um snack muito agradável. Tostadas com uns pingos de shoyu podem servir de topping para um cereal, ou dar aquele toque especial a um prato de vegetais escaldados ou a uma salada. Substituem bem o azeite, adicionando textura, um pouco de gordura e sabor.

A receita:

Ingredientes:

  • Sementes de girassol: 250g
  • Shoyu ou Tamari (molho de soja de boa qualidade): 1 colher de chá

Preparação:

Lave as sementes em água corrente, escorra-as e leve a tostar numa frigideira anti-aderente mexendo sempre para não deixar queimar. Quando estas estiverem a atingir um tom dourado, junte o shoyu enquanto mexe.

Retire de imediato para um prato.

Deixe arrefecer e guarde num frasco bem tapado. Duram mais de uma semana sem alterar o sabor.

Use para topping do cereal, para temperar saladas ou para dar textura e sabor a alguma preparação que precise desse toque diferente.

Redução de frutos vermelhos com geleia de arroz

Sexta-feira é dia de receita da Mil Grãos 
Eu sempre adorei compotas, sabem? Sabia que as compotas têm pelo menos 50% de açúcar (refinado), para além da frutose naturalmente presente na fruta. Mas gostava tanto e a minha mãe fazia-as tão bem 
Quando iniciei uma alimentação macrobiótica retirei o açúcar e as compotas foram-se. Não sinto falta nenhuma delas sobre o pão, mas como topping de uma sobremesa ou creme de arroz, sabem tão bem!
Depois aprendi a fazer compotas sem açúcar adicionando geleia de arroz, e o meu paladar habituou-se rapidamente a um nível de doce muito menor, o que faz com que quase não adicione geleia às reduções de fruta que faço.
Quando a fruta é muito rica em água (como é o caso dos frutos vermelhos) adiciono um pouco de Kuzu. Não faço muitas reduções de fruta para guardar, a não ser que tenha excesso de fruta (pela generosidade da Natureza).

Aqui vai a receita 

 Redução de Frutos Vermelhos com Geleia de Arroz 

Ingredientes
Frutos vermelhos /frescos ou congelados): 300g
Geleia de arroz: 4-5 colheres de sopa (mais ou menos segundo a gulodice)
Kuzu (ou amido de milho): 1/2 colher de sopa
Sal: uma pitada
Água: 1 colher de sopa

Preparação:
– Levar os frutos vermelhos com a geleia e a pitada de sal a cozer num tacho destapado durante 10 minutos.
– Dissolver o Kuzu numa colher de sopa de água e adicionar aos frutos vermelhos.
– Mexer até engrossar. Se necessário rectificar o doce, acrescentando um pouco mais de geleia de arroz.
– Usar como topping em sobremesas, sobre o pão ou no creme de arroz do pequeno almoço.
Nota: Deixar arrefecer, guardar no frigorífico e comer com moderação

Granola de Chocolate da Mil Grãos

Granola de Chocolate da Mil Grãos <3 é a receita desta sexta-feira, ou não fosse dia 1 de Junho, Dia da Criança. Esta granola transforma-se rapidamente num dos pequenos almoços preferidos da família, principalmente do mais pequenos.

É simples e não leva açúcar nem farinhas. Caso seja necessário façam a versão sem glúten, utilizando flocos de aveia isentos de glúten.

A receita:

Ingredientes:
500 g flocos de aveia finos
110 g amêndoas partidas grosseiramente
110 g geleia de de arroz
100 g chocolate 70% ou mais de cacau (preferencialmente sem açúcar refinado)
80 g óleo de grainha de uva ou girassol
2 colheres de sopa de cacau
1 colher de sobremesa de canela
Raspa de limão (opcional)
Cardamomo e gengibre em pó (opcional)
Preparação:
– Numa taça colocar todos os ingredientes secos, com excepção do chocolate, e misturar.
– Juntar a geleia, a raspa de laranja, o óleo e misturar até a granola ficar uniforme.
– Levar ao forno a 140oC durante 30 minutos, ou até a granola ficar dourada, mexendo de 10 em 10 minutos.
– Partir o chocolate em pedaços pequenos.
– Retirar do forno, juntar o chocolate e envolver. Se preferir sentir os pedaços de chocolate, deixar arrefecer antes de juntar.
– Deixar arrefecer e guardar em frascos.
– Usar como topping do creme de arroz ou junto com uma bebida ou iogurte vegetal.

E o vídeo: